Biblioteca de Adriano

A Biblioteca de Adriano era um impressionante edifício criado para abrigar a extensa coleção de livros que o imperador Adriano possuía. 

Construída em 132 d.C. sob as ordens do imperador romano Adriano, a Biblioteca de Adriano, também conhecida como a “Biblioteca das cem colunas”, funcionava não só como biblioteca, mas também como sala de leitura e centro de convenções.

A biblioteca no passado

A Biblioteca de Adriano ocupava um extenso recinto, de 122 por 80 metros, que estava rodeado por uma galeria composta por 100 colunas. No centro se situava um átrio onde se construiu uma igreja cristã no século V, que, posteriormente, seria substituída nos séculos VIII e XI.

A biblioteca ficou destruída e perdida no esquecimento até 1885, quando começaram as escavações, depois das quais foram encontrados alguns blocos de pedra calcária e impressionantes colunas coríntias de mais de oito metros de altura, além dos restos dos alicerces de uma pequena igreja construída no século V.

A biblioteca atualmente

Embora sejam poucos os restos que se conservam da Biblioteca de Adriano, é possível ter uma pequena ideia do grandiosa que chegou a ser em outros tempos e da grande quantidade de livros que se guardaram no impressionante edifício.

A entrada combinada da Acrópole inclui a entrada na Biblioteca de Adriano, por isso, embora os restos que se conservam sejam muito escassos, é recomendado fazer uma breve visita.

Horário

Todos os dias, das 8:00 às 15:00 horas.

Preço

Adultos: 4€.
Estudantes: 2€.
Entrada combinada adultos: 30€.
Entrada combinada estudantes: 15€.
Inclui: Acrópole, Ágora Antiga, Ágora romana, Teatro de Dionisio, Kerameikos, Templo de Zeus Olímpico e Biblioteca de Adriano.

Transporte

Metrô: Monastiraki, linhas 1 e 3.